A prosa mais bela que você vai ler hoje

O título um poucos mais apelativo que o normal tem uma explicação. Queria expressar nele a pessoa por trás das próximas linhas e caso você não tenha percebido, saiba que o título não carrega nenhum adjetivo.

Só pela possibilidade de faze-la sorrir, me motivei a escrever as linhas a seguir.

Algo por trás do sorriso de caninos levemente afiados e olhos semi cerrados te tira da minha frente e arrasta pras minhas linhas. Talvez seja uma maneira de te trazer um pouco mais perto, ja que ao menos (n)as linhas, posso chamar de minha. Embora também sejam tua.

E por mais que tua cabeça, quase tão dura quanto a minha, te impeça de admitir, sei o quanto gosta de passear por aqui.

Passeios que insistem em se manter na tela do celular já que uma pandemia resolveu evitar os encontros que pra mim, eram inevitáveis. E embora longe um do outro, de vez em quando, ao falar com você, fico sem ar.

Essa falta de ar costuma envolver memórias da tua boca, que tão bem tratou a minha e insiste, quase que diariamente, em reclamar dos meus áudios que de parcela em parcela, viram quase um podcast. Se você acha que parcelo os áudios, ainda não viu o meu cartão.

É muito gostoso quando o santo bate, a questão é que o nosso não bateu, ele nos esmurrou. E por falta do contato físico, vivo nas linhas alguns dos encontros que já queria ter compartilhado contigo. Alguns porque esse blog é um quarto aberto, quando a porta se fecha a história não é transcrita.

Espero que não se incomode, mas do teu rosto fiz arte, no teu pescoço depositei alguns beijos e com os teus suspiros, me inspirei. Caminhei nos teus fios de cabelo e encontrei neles, além de algumas pontas duplas, a combinação perfeita pro branco dos meus travesseiros e lençóis. Agora deitados, resolvi brincar com a tua timidez e te mostrar que o mundo gira num ritmo diferente quando as tuas pernas dançam pelos corredores e de passo em passo, repousam entre as paredes desse quarto.

Pra combinar com o teu tamanho, deixei o texto curto, com o teus olhos, o deixei claro, e comigo, meio bobo e confuso. Procurei as palavras mais bonitas que conheci pra combinar com o teu rosto, mas ainda não aprendi idiomas o suficiente pra isso

Mas posso garantir que essa é a prosa mais bela que você vai ler hoje. Amanhã penso se te faço outra.

@brunoamador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s