Nas tuas entrelinhas

Entrelinhas são por definição ideias e intenções que não estão explicitamente claras na mensagem. E acho que não possa existir definição melhor para esse texto do que isso.
Ela é muito simpática, por isso se for com a sua cara, não tem muito problema em te deixar entrar. O problema não é bem entrar, é ficar.
Esconde em meio à bagunça do seu dia-a-dia uma cabeça esperta demais pra cair nesse golpes baratos, então ela te dá corda, te deixa falar, porque é extremamente boa de papo, nunca foi de limitar, sabe que mar calmo nunca fez bom marinheiro e bons marinheiros sabem dar nós em cordas como ninguém. É um processo seletivo pra ver quem se enrola primeiro. Te faz de pião, de um lado, pro outro, até que o giro acaba. E amigo, se tem uma coisa que ela não aguenta é gente parada.
Então corre. Corre porque a fila anda, o bonde passa e atrás de ti tem mais alguns prontos pra entrar em rodopio nas linhas das suas mãos.
Acho desnecessário dizer que essas linhas não são nada retas, né? São tortas pro lado esquerdo, porque até mesmo seu próprio corpo é fascinado com o jeito que bate esse coração.
É querido, não é fácil pra ninguém.
Nada é muito explícito quando se trata dela, tem frases prontas pra uma série de situações, textos pra discussões e foras pra gente muito inconveniente; já viu demais e criou expectativas não muito altas para quem insiste em entrar na sua vida.
Deixa suas verdades soltas pela metade e completamente abertas para interpretação, cabe a ti saber se as respostas são positivas ou negativas, muito mais do que se basear na resposta em si é necessário entender o contexto por trás das perguntas.
Talvez isso seja uma espécie de filtro pra selecionar pessoas com certa capacidade cognitiva.
Não que eu precise dizer, mas é ilusão achar que eventualmente dará seu braço a torcer, assim, sem mais nem menos. Sua fala é inundada de “talvezes” e cada um deles possuem uma mescla de desafio e atrevimento, trazendo inúmeras possibilidades de resposta. São provocações para testar tuas reações em meio às dúvidas, porque embora nunca vá dizer isso em alto e bom som; Ela quer ser certeza. Não lhe venha com pedaços, suas metades são partes inteiras de um conjunto difícil demais para ser explicado por alguma regra matemática. Ela faz parte daqueles “número imaginários” que ninguém nunca entendeu no colégio.
A questão é que as pessoas não a entendem muito bem até hoje. Vive na dualidade do seu ser e varia entre aspectos opostos de uma personalidade cativante. Tímida e extrovertida, calma, mas brava, organizada no mesmo compasso que não tem controle algum de nada que acontece ao seu redor.
Ela é arte, pintura se você a observa por muito tempo, música se começa a falar – não que seja afinada, mas te atrai com suas ideias – e escrita quando minha mente inquieta tenta entendê-la.
Se cria nas entrelinhas e sem muita clareza pontua suas intenções.
Por isso é importante ser bom entendedor pra perceber tudo isso acontecendo ao seu redor, para bons entendedores meias palavras bastam. Acontece que por aqui basta só um quarto.
Em todos os sentidos que essa palavra puder trazer.
@brunoamador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s