Te peço encarecidamente para que desapareça

É difícil escrever sobre isso, porque ainda dói muito. Não duvido do tamanho do teu amor por mim, porque ele sem dúvida alguma é recíproco, mas, dada as condições atuais, te peço para sumir.
Não vou conseguir ser teu amigo, ou parceiro, não agora, e talvez nunca, sei que mantenho ao meu redor tanto dos amores que já vivi, acontece que existem amores e amores e contigo foi diferente. Nunca alguém tinha atingido tamanho nível de cumplicidade na minha vida, tua presença por aqui era tamanha que estranho eram os dias que dormia sozinho. Até hoje, não consegui ocupar o teu lado da cama, deixo ali, à espera de uma visita que não virá.
Entendo que seja covardia o meu pedido, como se só você precisasse se esforçar para que essa fase infindável passe, mas acredita, eu to fazendo o meu máximo. Só que não vou conseguir se você não colaborar. É foda quebrar uma rotina de conversa, quase como tirar a cocaína de um viciado sem redução de doses. Mas a gente sempre soube que não seria fácil, até porque emoção nunca foi algo que faltou em nós dois, né?
Talvez pela altura dos voos que alçamos seja igualmente dolorosa a queda. A realidade é muito dura para quem, como nós, tinha essa mania de olhar as coisas com a cabeça nas nuvens. É doloroso como deve ser e talvez isso nos endureça, tudo serve de aprendizado e não cabem em uma mão as coisas que faria diferente hoje em dia. É foda não ser clichê e vir com esses papos de “a gente nunca sabe o amanhã” e realmente não sabe. Não é o amanhã que me preocupa, o amanhã é ensolarado, não tenho dúvidas.
O problema é hoje. Hoje o dia tá nublado e sem a tua luz, tá foda sair da cama. Demorei para me mexer e nem fui trabalhar, a minha tristeza é destrutiva e nessas pequenas sabotagens vai me deixando inerte.
Hoje parece infinito.
E vai continuar parecendo cada vez que eu ver teu nome aparecendo na tela do meu celular sem ter um “vem aqui” embaixo. E enquanto eu não for aí, ou o teu nome parar de aparecer, isso não vai passar.
Por isso, por favor, some. Você me conhece e nunca fui de ficar muito tempo no chão, por isso não precisa ser algo definitivo, até porque é gostoso ter a tua presença por aqui, ela traz um pouco mais de cor pros meus dias.
Amanhã, eu prometo que te chamo. Mas hoje, deixa eu juntar os cacos.
Ainda te amo, só preciso reaprender a me amar também.
@brunoamador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s