A vez que me apaixonei por uma escorpiana

Abro esse texto avisando, essa não é uma história de amor.

Era confuso. A gente tinha muita coisa em comum e naquela época era complicado esse tipo de sintonia não me parecer amor.

Éramos muito próximos, solteiros e um pouco imprudentes. Eu, cara de pau como ninguém, me aproximei como se não quisesse nada. Ela, uma das garotas mais bonitas que já conheci, um sorriso que chamava a atenção e seu jeito era diferente.

Ela era sexy. Garota forte que sabia conversar sobre absolutamente tudo, dominava o ambiente e não demorou até suas raízes começarem a se espalhar pela minha rotina. E as coisas, eram mais gostosas ao seu lado.

Sempre foi mulher, opiniões desenvolvidas, ideias maduras e tinha uma espécie de sexto sentido, sabia dizer pelo meu suspiro se eu estava mentindo. Por isso, não consegui negar quando seus olhos, um pouco embriagados, vieram na minha direção no meio da festa.

Mortal. Essa é a definição que consigo dá-la.

Logo no primeiro beijo fez questão de gotejar todo seu veneno em mim. E não doeu nada. Me viciou. Bobo, hipnotizado, completamente entregue me vi preso nas suas garras e enquanto para muitos a ideia de cárcere possa parecer ruim, ficar preso com ela, era maravilhoso.

A melhor parte disso tudo era poder contar com toda a sua cumplicidade. Meu abrigo pra noites de exagero e suporte para quando meu mundo começava a desabar. Sempre sabia o que falar, mas (talvez isso seja melhor) sabia ouvir. Em silêncio deixava que eu falasse por horas e em um abraço curava todos meus males.

O tempo passou e nossas cores foram se esvaindo, não combina muito com ela ter relações indefinidas, sua vida é – ou tentar ser – organizada e suas amizades precisavam ser amizades. Em tons de cinza foi nosso reencontro, o dia nublado ditava as cores naquele sábado.

Mas, seu vestido florido, trouxe primavera pra aquele dia de inverno chuvoso. Conversamos, rimos, bebemos e seguimos nossas vidas. Nunca teve espaço para histórias mal pontuadas e depois de algumas vírgulas, resolvemos ser amigos.

E sei que costumo fazer finais gostosos de ler, mas essa história não vai ter fim. Ela é de escorpião, como que eu deixaria uma mulher dessas ir embora?

Me segue no twitter! https://platform.twitter.com/widgets.js

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s