Para todas as garotas que já amei

Acredito que não foram muitas. Quatro no máximo, três se for considerarmos que não há como existir indiferença onde um dia já houve amor, por isso essa carta não será longa, tentarei me limitar a quatro parágrafos.

Bom, inicialmente imagino que devo pedir desculpas. Parte dos meus amores foi recíproco e conviver comigo, mesmo que por curtos períodos de tempo, nunca foi missão simples. Sou difícil, cabeça dura e em até um pouco impulsivo, o que pode ser bom, já que não penso muito antes de mergulhar num relacionamento e ruim, já que não penso muito antes de falar o que se passa na minha cabeça. Ironicamente, medir palavras não é algo que faço bem quando não as digito. É aquela coisa do ver pare crer, entende?

Passado os perdões iniciais, irei me dirigir diretamente a cada uma de vocês, em ordem cronológica.

Ao meu primeiro amor: Foi divertido. Não há como negar que no curto espaço de tempo que existimos, de certa forma, aprendemos muito. Éramos crianças testando limites, experimentando coisas novas e descobrindo sentimentos que até hoje não compreendo direito, era um mix de caos e segurança que inexplicavelmente deu um pouco certo. Muito gostoso ver onde estamos atualmente e não tenho vergonha em admitir que parte do que sou hoje, é devido à ti.

O meu segundo amor, me ensinou uma nova forma de amar. Sempre fui muito irritado e ansioso. Sem saber como, a serenidade que ela me passou, me mostrou um amar lento, que respeitava as individualidades e soube amadurecer com o tempo, meus textos adquiriram um novo formato, parágrafos mais pontuados e cheio de respiro, reflexo do novo compasso em que esse coração batia. O meu segundo amor, me ensinou a ser paciente. E que embora a vida seja curta, ela deve ser vivida com calma nos detalhes, porque se não, eles passam despercebidos.

Ao meu terceiro amor, fico sem palavras. Inesperada e certeira, soube me envolver como nenhuma pessoa conseguiu até então (e creio que não conseguirá novamente), é bizarro o jeito que em um espaço tão curto de tempo os meus dias cada vez mais deixaram de ser claros se não passassem pelo verde dos teus olhos, sempre tão atentos em me observar. É gostoso admirar a pessoa que está ao seu lado, compreensão é o que mais aprendi até então, me colocar no outro lado, por mais difícil que isso possa ser, vem sendo a chave pra tamanha dominância tua no meu coração, que há tanto tempo batia em descompasso.

Ao meu terceiro amor, fica esperança que seja o último, porque embora ainda seja jovem demais, o meu futuro parece mais bonito quando refletido pelos teus olhos.

Me segue no twitter! https://platform.twitter.com/widgets.js

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s