O Dia que te conheci

Chovia no dia que eu te conheci. Uma chuva fina, daquelas que deixam as ruas escorregadias e o motorista indeciso em ligar ou não o limpador. Fazia frio, uma manhã típica de inverno no meio da primavera, o tipo de clima que só uma cidade como São Paulo pode proporcionar. Era quinta-feira e a minha semana tinha sido horrível, só queria que ela chegasse ao fim logo, nota baixa em prova, pneu furado e o bendito carregador do meu celular não funcionava. Isso sem falar no bolo que eu tinha tomado quarta à noite.

Eu tinha uma entrevista, mas não ouvi o despertador, acordei às 11 e não sabia se tomava café ou esperava o almoço, tomei leite e voltei à monotonia do meu quarto. Cacei por horas alguma série no Netflix e acabei ficando com FRIENDS, mesmo que eu já tenha decorado todas as frases eu continuo dando risada cada vez que o Joey solta um “Hey, how you doing?” ou que o Ross berra que ele e Rachel estavam “ON A BREAK”.

Até cogitei ir à academia, mas não tinha ido nenhum dia da semana, resolvi fazer essa a minha “week off” pela 3°vez em um mês. O almoço foi bem normal, macarrão, frango, coca-cola. Cansado da monotonia resolvi pegar no meu celular e ver o que estavam falando nos grupos, todo mundo estava numa busca incessante por algo para fazer na sexta, eu propus que eles viessem em casa e pegássemos alguma receita do Tasty para fazer. Fui xingado.
Queriam ir em bar, balada em alguma festa de faculdade. Eu só queria que a semana acabasse.

Sério, não me levem a mal, costumo ser mais animado do que isso, só que essa semana parecia interminável.

Eis que começam a falar sobre um restaurante/bar novo, aqueles que você se senta em volta do balcão e bebe a noite inteira ou senta na mesa, assim além de beber você também pode comer. O preço estava agradável, então resolvi ir com eles na sexta.

Tocava ao fundo uma eletrônica bem tranquila, deixando o ambiente com uma aura leve, me senti melhor só de pisar ali. Fomos andando entre as mesas e nos sentamos em volta do balcão, o barman era um conhecido então conseguimos alguns drinks “no capricho” como ele falava.

Depois de alguns minutos eu precisei ir ao banheiro e voltei observando às mesas, foi aí que eu vi o teu sorriso. Igualzinho aparece aí na foto. Meio bêbado e cara de pau apenas me sentei na mesa, suas amigas falaram algo e eu não tenho ideia do que respondi.

Eu te conheci. E me reconheci nos teus olhos.

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor

Curta nossa página! E se você tiver um nos siga no tumblr e Instagram (umquartodepalavras).

Também estou no Instagram e no Snapchat como @brunoamador

Se você tiver alguma crítica, sugestão, elogio ou só queira falar conosco, mande um e-mail para umquartodepalavras@gmail.com

Anúncios

Um comentário sobre “O Dia que te conheci

  1. A forma como esse texto me lembra HIMYM e como parece que você acabou de descrever minha semana me fazendo amar ainda mais esse blog e esses escritores maravilhosos é incrível! Parabéns Bruno! Sensacional!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s