Aos que não me conheceram apaixonado

Peço desculpas, peço perdão, peço o que quer que desejem que eu peça. Não sei se desculpar-me por uma coisa que não controlo faz parte da etiqueta. O que importa é que mudei de uns tempos para cá, e vocês devem estar sem entender exatamente o porque.

Pode ser que até entendam, mas não compreendam. A verdade é que só eu realmente sei o que se passa na minha cabeça. Eu passei a ver as coisas com outros olhos. Os olhos dela? Não. Simplesmente, percebi que viver uma grande paixão valia a pena.

Sempre fui o tipo de pessoa que saía de perto quando as coisas começavam a ficar mais sérias. Dava uns perdidos, deixava de responder mensagens, ou dava aquela famosa esnobada. Aquele velho jogo de amor e azar. O problema foi que esse jogo parou de fazer sentido quando eu a conheci.

São idas e vindas do amor. Um dia você tá por cima e parece ter o controle da situação. No outro, você é apenas uma marionete dos sentimentos que rondam o seu coração. Você tenta ser racional, pensar na melhor escolha a se fazer, mas seu coração passa por cima de toda a sua linha de raciocínio e diz “vai atrás do seu amor, seu imbecil”.

Basicamente, podem culpar meu coração por isso, porque a razão desistiu faz tempo. Ela tentou me dar um alento, tentou dançar e sambar na minha cara, mas dessa vez, perdeu. E qual a vantagem em ganhar se eu nunca tinha experimentado algo assim?

A gente passa tanto tempo em coisas que não vão dar em nada, ou faz o contrário: joga fora situações que dariam certo. A diferença é meramente vetorial.

Eu passei a dar prioridade para as emoções que não senti antes. Passei a andar mais cauteloso com o que falo, passei a ver aonde quero que meu destino me leve. E quero que ela vá comigo para esse mesmo lugar.

Entendam amigos, eu não os esqueci. Vocês ainda moram comigo,  e tem espaço pra todo mundo na minha ilha de considerações pelas pessoas que já conheci. O que aconteceu foi que as novas sensações que sentimos sempre são tão intensas… Não sabemos quando elas chegarão, nem quando vão embora.

Pode ser, que um dia, ela se vá. Que alguém chegue pra mim e fale coisas do tipo “eu te avisei” ou “toma, me deixou de lado”. Eu vou simplesmente ignorar. Porque a verdade é que o tempo com ela nunca é perdido, mas sim, aproveitado pro futuro.

Fica comigo que eu mostro como a gente pode ser feliz junto. E junto dos outros também. Sei que me conheceram de outra forma, mais solto, mais bagunça e mais empolgação. Mais despretensão com os acontecimentos da vida e mais indiferente as pessoas que me enrolei. Eu passei esse tempo investindo na conquista do amor que eu encontrei. E quem faria diferente diante dessa oportunidade na cara?

Lucas Fiorentino – clique para me conhecer melhor.

Curta nossa página ! E se você tiver um nos siga no tumblr !

Também estou no Instagram como @lucasfiore_

Se você tiver alguma crítica, sugestão, elogio ou só queira falar conosco, mande um email para umquartodepalavras@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s