Pode me amar de novo?

Ainda lembro o jeito que você encarava o chão com um ar perplexo, suas mãos tremiam enquanto eu me mantinha em pé a sua frente tentando explicar, reparar ao mínimo o dano que lhe causei. Mas você sequer me olhava, as lagrimas pingavam do seu rosto e naquele instante eu soube que nossa relação tinha se dissipado. Levantou-se pegou sua bolsa e saiu, ignorando todas as minhas frases, a ultima imagem que tenho sua é atravessando a porta com um olhar de angustia e raiva.

Nunca na vida um olhar doeu tanto quanto aquele. Preferia que você tivesse me xingado dito que os anos de vida que passamos juntos foram perca de tempo, me chamado de falso, quebrado minha coleção de CD’s, eu não sei, que tivesse alguma reação exagerada. Porque mesmo que ínfima essa ira seria uma oportunidade de conversa, ainda que fosse um dialogo resumido a gritos e ódio haveria uma chance para esclarecer que eu errei, mas jamais faria isso com você novamente. Contudo não foi assim, você me perguntou com a voz embargada quando e o porquê de eu estar destruindo nós. E eu respondi desesperado e sem saber o que dizer.

Não sei o que acontece, mas a gente sempre machuca as pessoas a quem mais amamos. As quais não devíamos magoar de forma alguma, pois são conforto, sorriso, colo que nos acompanham nos dias mais divertidos assim como nos mais difíceis. E você é essa pessoa. Tudo que eu digo pode soar clichê demais, é que sou péssimo em pedir desculpas e você sabe. Me atropelo nas palavras pois nenhuma é boa o bastante para reparar o dano que lhe causei.

Tenho sentido amargamente a sua falta, meus erros ultrapassaram a raiva, a dor e vivo numa ressaca moral interminável, parece que tomei um porre daqueles que você vai parar no hospital e precisa tomar glicose na veia. A diferença é que meu álcool foram meus pecados e minha glicose é você. Se doa para mim de novo? Não por compaixão – visto que não mereço nenhuma –  não para aliviar o peso da minha consciência, é só que me arrependo e quero uma chance para tenar te fazer feliz. Mesmo tendo errado tão feio contigo te amo, e descobri da pior maneira que se tirar você de mim não sobra nada.

Só devo pedir desculpa. Desculpa não tentar recuperar o que tínhamos, ter sido covarde, faltado com respeito a você e ter te magoado. Só me da uma brecha para me aproximar, prometo ir devagar e te reconquistar aos pouquinhos ou de uma só vez estou a mercê das suas escolhas. Quero ser seu melhor amigo novamente, roubar a costela do seu prato, apertar seus ombros sempre que estiverem tensos. Quero que seja como no começo onde ficávamos bêbados e no caminho para casa eu te levava a alguma esquina onde podia te arrancar beijos e suspiros de desejo. Talvez eu esteja pedindo demais o passado não da para esquecer, mas ao menos tenho de tentar e te perguntar só uma coisa. Você pode me amar de novo? 

Manoela Amaral – clique para me conhecer melhor

Curta nossa página! E se você tiver um nos siga no tumblr!

Também estou no Instagram e no Snapchat como @manu_amaral8

Se você tiver alguma crítica, sugestão, elogio ou só queira falar conosco, mande um email para umquartodepalavras@gmail.com.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s