Os teus jeitos

Me apaixonei pelo teu jeito. Pelo teu jeito de pôr o cabelo para trás ao estudar, envolvendo todas as suas forças para resolver aquela equação que está na sua frente ou para entender estequiometria. Pelo teu jeito de brincar com os dedos da minha mão quando está entediada, só notando o que está fazendo quando eu te dou um toque, e aí você me responde com um sorriso e continua fazendo a mesma coisa. Pelo teu jeito de não conseguir se expressar direito quando sente raiva, você solta o ar, faz uns sons esquisitos e começa a falar um monte.

O teu jeito de proteger a sua caneca de chá como se aquela fosse a última caneca de chá existente no planeta, você deixa a tua blusa passar pelas mãos e envolve as mangas da blusa na caneca, assim você segura a caneca sem se queimar.

O teu jeito de sempre achar que está certa me irrita, mas não nos apaixonamos só pelas qualidades, vejo um pouco de mim em você cada vez que você não admite estar errada, mesmo quando está claro que você está. Você não abre mão da sua opinião enquanto houver argumentos que possam sustentá-las. O teu jeito de ficar irritada comigo que sempre é curado por algum texto ou chamego, isso sem falar no sorriso que você dá quando me diz “não tem como ficar brava com você”. Eu sou apaixonado por esse sorriso. Eu sou apaixonado pelos teus jeitos.

O teu jeito é poesia para olhos como os meus, o jeito que você acaricia minha nuca enquanto eu dirijo pode ser comparado à um soneto com decassílabo heróico. O jeito que você se despede de mim é uma elegia, é triste, mas não deixa de ser lindo. O teu jeito de me xingar é uma cantiga de maldizer e a reconciliação é poesia lírica, sinfonia para os nossos ouvidos e completamente incompreensível para os outros, poesia lírica é um saco de ler, divertido de escrever.

Apaixonado pelo jeito que as tuas pernas se abrem, bem pouquinho, quando minhas mãos te arranham enquanto você finge dormir, me empurrando para longe, você pede para eu parar, mas seu corpo clama pela continuação. Pelo jeito que você morde os lábios quando eu digo algo que desafia teu disfarce de boa moça, principalmente se é dito em público ao pé do teu ouvido. Sua boca te entrega em tantas ocasiões que ela mereceria um texto especial.

O teu jeito de andar me faz caminhar ao teu lado, o teu jeito de se encaixar entre os meus braços me fazem te abraçar, o teu jeito de ser linda me faz ser bobo, o teu jeito de dormir me faz passar a noite e o teu jeito de sorrir faz textos como este. Os teus jeitos me fazem escrever.

Me desculpa se te deixei sem jeito, é que até assim eu me apaixono por você.

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor

Curta nossa página! E se você tiver um nos siga no tumblr!

Também estou no Instagram e no Snapchat como @brunoamador

Se você tiver alguma crítica, sugestão, elogio ou só queira falar conosco, mande um email para umquartodepalavras@gmail.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s