Carta à minha ex

Eu sei que o nosso fim foi truculento, se não, não seria um fim de relacionamento comigo, ficamos apontando o dedo um para o outro, você dizia que a culpa era minha, eu dizia que era sua, quando ambos sabíamos que cada um tinha a sua parcela de culpa. Algo construído à dois, não se destrói sozinho.

Eu ainda não aprendi a perder, eu aceito perdas, não sou uma criança mimada, não irei sequestrar a garota ou tentar sabotar o próximo relacionamento dela. Eu simplesmente não me conformo em não ter sido bom o suficiente para alguém, mas eventualmente, eu entendo que há males que vêm para o bem e que não é uma questão de ser bom ou não, é mais pra compatibilidade, agora eu olho pra trás e penso, como nos suportamos por tanto tempo? Como nos damos tão bem por tanto tempo? Somos pessoas completamente opostas, mas por um breve momento da vida acabamos andando juntos na mesma direção.

Esses dias seus pais curtiram uma foto minha no Facebook e me lembrei de como sempre fui bem acolhido na sua casa. Sua irmã também curtiu um texto que postei, ironicamente um texto que era pra você, escrevi enquanto estávamos juntos, confesso que ele é uma das minhas obras primas. Os textos que te escrevi eram em sua maioria excepcionais, você foi a época mais inspirada da minha vida, me incentivava a ser melhor em tudo, vai ver por isso demos tão certo, tirávamos o melhor um do outro. Algumas pessoas me disseram que a nossa maior graça era essa, éramos melhores juntos, vivíamos sorrindo. Suas notas subiram enquanto você estava comigo, você entrou na academia, as vezes íamos malhar juntos, estávamos constantemente tentando chegar ao nosso limite em tudo, tentamos tanto, que o ultrapassamos em algum momento.

Provavelmente você já achou alguém que te dê beijos na testa antes de dormir e ceda camisetas para você usar como pijama, alguém pra aturar suas crises de existência, escolher uma foto pra você postar no Instagram, embora você sempre poste outra, alguém para servir como travesseiro e segurança. Ele com toda a certeza não cozinha melhor que eu  – saiba que eu melhorei e muito, meu cardápio cresceu exponencialmente nessas férias – ele também não deve ter um beijo melhor que o meu, afinal, sou eu né…

Eu espero que ele cuide bem de você, assim como eu cuidava, ou ao menos tentava. Espero que ele te provoque mais risos do que lágrimas, um sorriso tão bonito que não possa ser ofuscado por nada, bem característico teu. Espero que ele consiga roubar o seu canto da cama como eu tantas vezes tentei. Espero que ele pelo menos consiga cuidar de você enquanto vocês estiverem bêbados e não digo só fisicamente, parece que quanto mais bêbada, maior seu tesão, gostava disso.

Não espero que ele escreva as mais belas declarações de amor como eu fazia, afinal isso é algo meu, mas tomara que ele ache seu jeito de te lembrar diariamente da sua importância. Você gosta de se sentir querida, quem não gosta? Tomara que ele cuide de você como eu. Às vezes broncas são necessária para evitar que você faça merda, mesmo que essas broncas iniciem discussões que normalmente começavam com a frase “Você não é meu pai!”.

Eu também espero que ele não esqueça de deixar uma garrafa de água ao lado da cama quando vocês forem dormir.. Que ele aprenda rápido que você não gosta de leite, a não ser que seja com café, “aí ele fica bebível” como você me dizia. Espero que ele tenha a mesma persistência que eu tinha em curar seu mal humor ou inoperância sob as cobertas, embora eu saiba que no fundo você só queria que eu te provocasse um pouco. Você gostava de me ver ralar por você, mas tudo bem, eu também gostava. Tomara que ele não esqueça de que você tem que tirar as lentes de contato antes de beber porque você sempre as joga fora. E que ele nem ouse esquecer o aniversário de namoro de vocês dois. Por fim, espero que ele nunca, eu disse nunca, te incomode enquanto você estiver de TPM ou dormindo. Dormindo de TPM então nem se fale.

Eu continuo aqui escrevendo umas coisas, derrubando copos e sujando a blusa sempre que como macarrão. Ainda coloco o travesseiro entre as pernas pra dormir –  às vezes sinto falta das tuas coxas substituindo-os – me estresso facilmente com a idiotice alheia e não tenho saco para garota que finge ser puritana. Continuo delicado como um elefante, mas você me conhece, sabe que sou fofo do meu jeitinho. Minha cabeça ainda é fértil, como sempre, ainda tenho mil ideias ao mesmo tempo sobre viagens, festas extravagantes, jantares com pratos super elaborados, nunca concretizadas ou por falta de dinheiro ou porque a minha cama é sempre tão convidativa. Mas tudo bem, eu posso escrever sobre elas né?

Minhas piadas ainda são sem graça – ninguém ri delas, como você ria – e eu não largo meu chinelo por nada nesse mundo, esses dias fui no restaurante mais chique de São Paulo de chinelo, minha mãe quase infartou, mas ela passa bem atualmente. Ela sente falta dos roxos no meu pescoço e da surpresa ao te ver saindo do meu quarto ao amanhecer. A parte dos roxos é mentira. Ok, provavelmente ela não também gostava muito de te ver saindo do meu quarto, mas tenho certeza que ela gostava de você. Um pouco.

Queria pedir desculpa se fui excessivamente rude em algum momento, é que eu não tenho saco para brigas bobas, como as diversas que a gente tinha e ainda temos se tentamos nos reaproximar, espero que você ainda guarde nossas fotos e os presentes que eu te dei, cada coisa aí tem um valor sentimental gigantesco. Eu provavelmente tenho nossas coisas guardadas em algum lugar no meu armário, tenho certeza, bem lá no fundo, em uma caixa dentro de outra caixa escrito “não mexa”, você é um perigo pra mim, sentimentos não acabam, apaziguam.

Recentemente estudos mostraram que o amor ativa as mesmas regiões do cérebro que as drogas, nós literalmente, nos drogamos com a pessoa. Você era a minha droga, consegui me curar, mas não queremos recaídas. Como você pode notar eu continuo pesquisando idiotices no Google também. Eu poderia terminar a minha carta sendo clichê, dizendo que desejo sua felicidade, mas eu não sou assim – imagine eu dizendo as próximas palavras com meu sorriso de canto de boca que você tanto gostava – desejo que você seja feliz, só não o quanto era comigo, porque afinal… Era eu. Te desejo uma felicidade média, nada muito excessivo.

PS.: Espero que você goste dessa carta, te imaginei sorrindo enquanto escrevia.

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor

Curta nossa página ! E se você tiver um nos siga no tumblr !

Também estou no Instagram e no Snapchat como @brunoamador

Anúncios

5 comentários sobre “Carta à minha ex

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s