Porta de casa

Eu abro a porta do carro pra que você possa sair. Na mesma hora, já estou aguardando aquele perfume. Aquele mesmo, que sempre sobe ao ar quando você passa na minha frente, balançando todos os fios do seu cabelo. Aquele perfume que a gente demorou pra decidir se comprava ou não, que gerou uma pequena discussão sobre gastos exagerados, e que hoje te serve tão bem. Penso que ele valeu a pena mesmo.

Quando você sai e eu fecho a porta, olho enquanto se dirige à porta de casa. Sua silhueta é exuberante. Ali eu percebo que poderia ficar a noite toda te olhando, apenas para apreciar todas as suas curvas, não com as mãos, mas com olhares. Olhares esses que são mais sinceros do que qualquer pegada, do que qualquer abraço ou beijo.

Seu vestido foi feito pra você. Não há ninguém no mundo que o vista tão perfeitamente. A alça meio caída dá aquele charme que combina contigo e não me deixa mentir sobre sua beleza. Ele não te mostra, apenas te convida para conhecer a garota extraordinária que você é.

Não há dúvidas sobre o que vejo ali. Vejo que fiz uma escolha certa, vejo que cada parte delicada sua é uma bagunça na minha mente, que mostra o quão louco estou.

Você procura a chave na bolsa. Enquanto isso, eu com o cotovelo apoiado na parte de cima da porta do passageiro. De longe, vejo suas mãos mexendo em tudo ali, e penso em como aquilo reflete seu mundo. Sua bolsa, sua bagunça, que pode se tornar minha bagunça também se quiser. E isso é tudo que eu mais quero.

Quando você acha a chave e já coloca-a na fechadura, sei o que vai fazer a seguir. E você faz. Vira seu rosto para trás, com aquele olhar de convite. Um convite para que eu entre. E quantas vezes já não aceitei…

Todas, sim, todas as vezes foram especiais. E é por isso que sei que estou fazendo a coisa certa. Aquele quentinho do seu sofá depois que acordamos nele é tudo que eu mais quero. O jeito desengonçado de levantar e acabar derrubando o controle da televisão sem querer. Sempre sonhei com isso, e sonhei isso com você. Agora, é só trazer de volta a lembrança das tantas vezes que já fizemos.

E eu entro pela porta, para mais uma vez, saber que você é aquilo que eu quero.

Lucas Fiorentino – clique para me conhecer melhor.

Curta nossa página !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s