A gente se engana tanto

Enganamos os outros

Pra que pensem que somos diferentes

Do que nascemos realmente para ser

Enganamos nós mesmos

Como se a mente fosse esquecer

Que a verdade não se esconde por panos na imaginação

Acreditamos em mentiras

Sabendo que são mentiras mesmo

Apenas por conveniência

Desprezamos verdades tristes

Pois a vida já é triste o bastante com as mentiras felizes que inventamos

E a solidão de se viver na verdade absoluta é preocupante

Atribuímos defeitos as coisas belas

Para que percam seu brilho por alguns instantes

Escondendo a real insensatez de como algo pode ser tão perfeito

Veneramos o horrível

Pra que ele se encaixe na nossa porta de entrada

Como um vizinho estranho que nos acostuma com sua convivência

Não contribuímos para a mudança

Porque mudar machuca, dilacera, espanta

Que nem as mentiras

Mas de forma mais real

Em que mundo eu sei que vivo?

Não há certeza, não há verdades

Apenas fatos mascarados pro nosso coração ficar mais confortável

Lá fora eu escuto o horror de quem vive o real

Lucas Fiorentino – clique para me conhecer melhor.

Curta nossa página !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s