unsplash-logoMike Erskine

Querido ex-amigo, esse texto é dedicado exclusivamente para você. E não pense que isso é uma ação positiva. É decepcionante te escrever para te dizer o quanto você me magoou com a atitude que fez com que nossa amizade tivesse um ponto final. Você lembra todas as vezes que você me aconselhou sobre aquele rapaz que partia meu coração de todas as maneiras imagináveis?! Pois é… Hoje ele está partido e o culpado foi você.

Eu entendo o entusiasmo de entrar em uma nova relação. De acreditar que agora o amor bateu na porta e não podemos dar um passo em falso. De ter fé que é com essa pessoa que vamos construir uma vida ao lado até nossos cabelos embranquecerem e nossas peles criarem as marcas dos anos. O que eu não compreendo é: onde eu poderia atrapalhar você de realizar isso tudo?! Para ser bem sincera, acredito que minha participação agregava mais do que subtraía.

Quando você e sua namorada se desentendiam era para mim que você corria pedindo um socorro. E acredita que até ela já veio pedir conselhos sobre suas atitudes para mim? Incrível. Incrível a capacidade e a coragem dela ter pedido para você se distanciar da sua melhor amiga e você, boca aberta, ter aceitado isso com extrema naturalidade. Como se eu não fosse nada para você. Doeu, dói e vai doer por um bom tempo. Você era como meu irmão e perder alguém assim, de uma hora pra outra, é inadmissível.

Ela te contou que por vezes tentei ter alguma ligação com ela? Pois é, eu tentei. Tentei por saber que ela te fazia bem. E se ela faz bem a quem eu amo, por que não tentar fazê-la se sentir confortável quando sair com a nossa roda de amigos, né?! Erro meu. Erro meu pensar que as minhas boas intenções seriam valorizadas por alguém que nem preza o valor ao próprio namoro. Sei lá… Uma relação, ao meu ver, é feita de confiança e para ela ter feito você escolher entre nós duas é porque a segurança dela era zero.

O engraçado é que alguns dias antes de você me avisar que me bloquearia nas redes sociais porque ela te pediu isso, eu estava lendo o livro “Não se apega não” da Isabela Freitas e nele a personagem passa pela mesma situação. Eu li essa história no momento certo. Foi reconfortante ter as palavras da Isabela tocando no meu coração e me fazendo enxergar que a nossa amizade era uma via de mão única, onde apenas eu tinha uma ligação sincera para com você.

Se por algum acaso o meu namorado (que ainda não existe) me pedisse para escolher entre você e ele eu iria averiguar os motivos desse pedido e tentar me resolver com ele. Quem sabe até fazer ele se aproximar mais de você e ter confiança que entre nós é apenas irmandade. Ou pelo menos, era da minha parte né. Cara, que decepção. Sério. Mas você tomou sua decisão e não permitiu nem que eu tentasse compreender os motivos disso. Apenas me avisou e foi embora. Só quero que você saiba que tem decisões que não podemos voltar atrás e essa foi uma delas.

Não pense que em um futuro eu vou te receber de braços abertos. Nós recebemos o que oferecemos e eu te ofereci meu amor e amizade, então tenho fé que logo isso voltará para mim. Minha porta se fechou para você e não por maldade, mas por me amar demais eu não me permito ser trocada novamente e quem me garante que num futuro você não escolha outra namorada sua, né?! Do fundo do meu coração: eu espero que esse seu relacionamento dure até os últimos dias da sua vida cheio de amor e felicidade, porque caso contrário o arrependimento de trocar o certo pelo incerto vai te atormentar por um bom tempo.

Daniele Denez