unsplash-logoShea Rouda

Você me disse esses dias que tem medo de se aproximar das pessoas, não gosta de se envolver porque não consegue confiar plenamente nelas, entendo esse pé atrás e embora não concordasse, sorri e afirmei te entender logo depois de calmamente beijar a tua testa. Não sabia naquele momento o que te dizer para te convencer que talvez eu fosse digno de uma tentativa tua, então vim pra casa pensando nisso e me toquei, sempre fui melhor escrevendo. Por isso resolvi fazer esse texto.

Sei que você não gosta de se envolver, exatamente por isso te prometo, você não precisará em nenhum momento realizar tal ato, pode deixar que esse trabalho eu assumo. Te envolvo com o que você quiser, de preferência com meus braços ou cobertores, a combinação entre os dois então é sensacional, eu juro. Não que eu já tenha me experimentado, mas as pessoas parecem gostar.

E se você não quiser os braços, pelo menos deixa eu tentar com alguma história, sempre fui melhor escrevendo do que falando, se aninha no meu peito enquanto eu brinco com o teu cabelo e deixa eu te colocar nas minhas linhas pelo menos por uma noite, empresta o teu jeito irritadiço a algum personagem e os teus olhos serenos a outro.

E caso não goste de ler, volta pra cá que eu vou inventar qualquer outra coisa, te faço macarrão, strogonoff, brigadeiro, te escrevo uma música. Te levo pra qualquer lugar, mas não deixa esse medo nos impedir. Já criei uma história para nós dois.

Esquece o que vão pensar, nunca fui de ligar pra opinião alheia, tenho a cabeça dura e não desisto facilmente das coisas que eu quero e posso te falar uma coisa? Nunca quis tanto alguém como quero você. Traz pra cá o teu perfume e deixa ele se misturar com a minha roupa, deixa algum fio do teu cabelo preso no meu lençol e uma marca de batom no meu pescoço. Divide batata, cerveja e cobertor comigo, só não vou querer dividir você.

Chega mais perto, brinca com meu cabelo e reclama se eu cortar ele muito curto, diz que fico nerd de óculos e me deixa idiota ao falar que gosta de John Mayer. Me deixa idiota ao falar de você.

Iremos devagar, com nosso próprio tempo. Pra que apressar? As melhores coisas são feitas devagarinho. Vamos ser algo único, vamos ser algo como Bonnie e Clyde, Eduardo e Mônica, Rachel e Ross. Não vamos nos definir, vamos ao cinema, vamos jantar, vamos pra praia, vamos pra alguma festa à fantasia. Vamos sair. Me dá a mão e não se preocupa se você beber demais, eu também bebo. Pode dormir em casa se quiser, a cama é pequena, mas é perfeita pro teu corpo. Esquece a tua insegurança garota.

Não sei que bicho te mordeu no passado, mas garanto que você vai gostar muito mais das minhas.

Me segue no twitter!

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor.

Bruno Amador