Photo by:Allef Vinicius

Recomendo ouvir Easily – Bruno Major, enquanto ler esse texto 🙂
Uso da minha licença poética para o título do texto, precisava criar alguma palavra nova para nós dois.

Não era pra ser e tava estampado na nossa e na cara de todos que nos viam juntos.

Você esperava um príncipe em um cavalo branco e eu de príncipe só tenho a cama – king size – eu não era nada do que você queria. Teu desejo por cabelos lisos acabaram se perdendo nas curvas dos meus fios enrolados. Os olhos claros, viraram castanhos, escuros. E aquela barriga de tanquinho virou máquina de lavar. Por saber que não existe cara ideal, resolveu insistir.

Por que não? – Pensou.

Confesso que não esperava muito de ti, ultimamente ando meio desacreditado, passei a deixar as coisas acontecerem e a vida me levar. E ela foi nos levando por aí.

Mas não era pra ser.

Você não escondia o desejo de me querer mais presente e eu me escondia sempre que possível.

Provavelmente medo. Medo de me envolver, medo de te magoar, medo da instabilidade que insiste em dar as caras nas minhas relações. Era óbvio que não iríamos muito longe, pararíamos na primeira briga, no primeiro desentendimento.

Mas as coisas foram acontecendo, estar com você deixou de ser um medo e começou a virar sinônimo de sorriso. Minhas “conferidas de hora no celular” começaram a ficar menos frequentes, comecei a prestar mais atenção nos deus detalhes, nas tuas opiniões, nos teus gostos e cá entre nós? Gostava deles. Na verdade, gostava bastante deles.

Notei que o teu riso – sempre tão lindo – era meio tímido quando estava comigo e comecei a fazer graça por causa disso. Como uma criança, me encantei pelas tuas bochechas coradas e por cada detalhe que acompanhava a tua presença. Teu perfume adocicado, tuas unhas (quase sempre mal feitas) e tua capacidade de deixar tudo gostoso.

Os nossos olhares antes desconfiados começaram a simpatizar com a tua presença cada vez mais constante entre meus cobertores. E eu que antes não esperava nada, comecei a te esperar. Te esperava no carro, te esperava em casa e, nos momentos mais quentes, te esperava na cama.

Deixei de me esconder e passei a ser claro no que sentia. Tão claro quantos os teus olhos. E, com a vida nos guiando, passamos por brigas. Superamos a primeira, a segunda, a terceira e acabamos indo para o quarto. Mas não era pra ser, não era pra ser tão bonito, não era pra ser tão intenso, não era pra ser real.

E viramos o que ninguém esperava; Inesperados.

Me segue no twitter!

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor.

Bruno Amador