Recomendo ouvir a música Best Part do Daniel Caesar enquanto le esse texto 🙂

Se a vida fosse um filme, toda chuva aconteceria no final de tarde enquanto o cobertor envolvesse os nossos corpos nos deixando sem opção de lazer além da televisão ou, bem você sabe quais as principais opções né?

Os beijos aconteceriam após uma troca de olhares e um daqueles sorrisos de canto de boca, enquanto o mocinho atravessa o salão, segurando um copo de qualquer coisa e desviando das pessoas que insistem em atravessar seu caminho.

Ah, se a vida fosse um filme, eu te encontraria em alguma festa e de pouco em pouco a tela começaria a adquirir cores mais vivas, como se algum filtro aumentasse a saturação da imagem exibida.

Assim os teus olhos, tão bonitos, ficariam ainda mais verdes. Você seria uma das personagens mais divertidas, já que se apresentaria tímida aos telespectadores, mas conforme o filme avançasse provaria-se uma daquelas mulheres mulecas, que não liga muito pra opinião alheia e vive sua vida.

Ah sim, você viraria gif.

via GIPHY

Se a vida fosse um filme, eu seria um daqueles clichês. Escritor que bebe demais e tem dificuldade pra lidar com os próprios sentimentos. Depois de me mostrar bebendo em algum bar, a câmera iria acompanhar meu caminho até em casa e iria dar um close de cima do meu quarto, filmando a inquietidão do meu corpo enquanto durmo e o caos que é o ambiente em que vivo. Reflexo da constante bagunça que é minha mente.

Depois voltaria ao bar, mas dessa vez com o teu sorriso me acompanhando. Mostraria nós dois entrando em casa e os sapatos ficando pra trás enquanto caminhávamos entre um beijo e outro até o quarto. Iria dar um close no teu sorriso enquanto tira a blusa antes de me beijar de novo e ficaria de perfil pra pegar a proximidade dos nossos rostos enquanto algum lençol branco se movimenta mais embaixo.

Se a vida fosse um filme você iria passar a noite aqui e a câmera mostraria como
minha noite de sono fica mais calma quando o meu corpo envolve o teu. Como
se o teu perfume fosse o rivotril pra minha ansiedade.

Na beira da cama te veria espreguiçar lentamente enquanto buscava o celular em cima da bancada me perguntando o que tem pra comer.

E embora pareça, se a vida fosse um filme, ao menos a nossa, não seria um romance. Seria comédia. Pra quem assiste, se encantar, assim como eu. Me encanto pelo teu sorriso, pelo teu cabelo e por cada canto novo que descobrimos juntos. Sempre sem deixar de lado a leveza que você inexplicavelmente consegue pôr a cada frame filmado.

Se a vida fosse um filme, eu a dividiria em partes. E as que tivessem o teu nome seriam as melhores.

Me segue no twitter!

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor.

Bruno Amador