Eu sempre me satisfiz com teu sorriso. Olhar nos seus olhos é entender como é difícil segurá-la à um meio amor. Você, que não se contenta com metades, pois ama por completo, não pode simplesmente aceitar menos do que o todo. Para te amar, é preciso fazer com que o possível e o impossível dos improváveis acasos da vida não atrapalhem o sentimento que vive dentro de você.

Eu, por mais que as vezes não pareça, sempre me comprometi a entregar minha felicidade em suas mãos, porque não consegui tirar você da cabeça desde que ouvi tua voz pela primeira vez. E agora, aqui estou. Lembrando da tua voz e com meu coração todo estremecido. Se pudesse descrever em uma palavra o que é não ter você, seria o vazio.

Lembrar de nossos momentos onde viramos crianças de alma em corpo de adulto, é ter uma imagem de um mosaico todo colorido, mas que algumas vezes se tornou preto e branco. Um mosaico que algumas vezes foi quebrado, e deixou marcas que não podem ser apagadas, mas que fazem parte de uma história.

Eu não quero te dar um sentimento morno, como aquele café que esfriou. Tentei encontrar mil definições para o que sinto, e não consigo chegar em outra palavra se não amor. Vou chegar no teu ouvido e falar que não consigo viver sem você, só pra você sentir a verdade no timbre da minha voz. Essa voz, que trava quando fala com você, que gagueja e muitas vezes não sabe o que falar.

Você nasceu pra ser amada, pra ter o mundo, e o mundo nasceu pra ter você. Quem sabe, em meio a isso tudo, a vida não me deixe também te ter.

Bruno Amador