Não é de hoje essa mesma ladainha. No começo todo mundo ama. Todo mundo quer. É jantar, é cinema, todos os frufrus e agrados imagináveis que alguém possa pedir. Tem flor, tem chocolate, tem atenção. Até que tem a primeira noite. E é depois da primeira noite que as coisas começam a mudar.

As mudanças começam sutis. Demora pra responder mensagem, os convites pro cinema, pro jantar, vão se esvaindo e começam a ser focados apenas na casa dele.

Se antes ele te levava em casa, te apresentava pra família, te levava pra conhecer os pais. Hoje você só é convidada quando não tem ninguém em casa. E mesmo quando tem, ele não quer você ali. Não no meio de todo mundo. Ele quer você no quarto, de preferência sem roupa e debaixo das cobertas, como foi na primeira noite. E ai de você se falar que não quer. “Porra, por que não?”.

Se antes as mensagens de carinho e preocupação inundavam o celular durante a semana, agora espere apenas a insensibilidade do “dá pra vir pra cá agora?” ás 2 da manhã. Se antes você era convidada a ficar depois do sexo, agora você pode se retirar de imediato, a não ser que o ficar seja pra agradar mais o princípe. Ele faz o que quer, beija quem quer. E você, moça? Você virou propriedade, exclusiva e intransponível. Sua liberdade se limitou a liberdade de escolha dele.

Eu cansei. Cansei de chorar a cada vez que conheço alguém. Cansei de apanhar e ser machucada, física e psicologicamente. Cansei de ser pedaço de carne. Eu não sou só um pedaço de carne que fica para apodrecer na prateleira assim que algo novo aparecer nesse teu supermercado de “relacionamentos”. Eu não sou de plástico. Não sou reciclável de acordo com sua conveniência. Não sou de porcelana, mas quedas já foram tantas, que os remendos talvez não me segurem mais como uma.

Eu cansei.

Eu cansei de ter minha autoestima agredida. Cansei de ficar triste em frente ao espelho porque não conseguia encontrar no próprio reflexo o meu valor, mas sim, nas atitudes alheias. Não vou mais tolerar, não vou mais cair. Serei eu por eu. Eu me colocarei acima de você e se quiser ficar, que fique direito ou te expulso com o pé na bunda mais bem dado que você já conheceu.

Eu cansei de você(s).

– Carol Ferraz

 

Carolina Ferraz