Você vai entrar na fossa, não vou mentir, não vou poupar palavras. As primeiras semanas serão uma merda. De vez em quando vai bater uma solidão do cacete, você vai pensar em chamar ele, você vai chamar ele, vai conversar e pensar se tomou a decisão certa. Você realmente insistiu até não dar mais? E se ele fosse mudar agora? Esquece isso. É como se curar de uma droga, a gente tem crise de abstinência, iremos querer usar mais, a nossa cabeça vai nos iludir, só que cara, você tem que resistir ao impulso.

É foda passar meses, anos, num relacionamento estável e ter que lidar com a instabilidade da vida de solteiro. As primeiras semanas são as piores. As lembranças vem em qualquer momento por causa de coisas bestas, no meu caso, bastava eu olhar o banco do passageiro vazio, que era inundado por lembranças de ti. ali temos nosso primeiro, segundo, terceiro e o último beijo. Ali foi quando eu te perguntei “você tem certeza disso?” e você, olhando fundo nos meus olhos me falou “sim”. As lembranças vêm quando você dorme e quando acorda. Eu corria pra ver o meu celular, tão acostumado a vibrar com o teu bom dia, mas na tela ele só mostrava as horas.

As horas não vão passar. Os dias vão parecer mais escuros. Mas não se engane porque o tempo será o teu melhor amigo. Nada nesse mundo é mais verdadeiro que a ideia de “dar tempo ao tempo”, como diria Padre Vieira “Tudo cura o tempo”. Você vai precisar desse teu período de luto, de sofrimento, pra conseguir superar. O tempo vai secar as tuas lágrimas, remendar o teu coração e pôr de volta esse sorriso tão bonito no teu rosto.

Enquanto o tempo não passa, ocupa a tua mente. Faça algo que te faça feliz, ou que extravase toda essa tristeza. Sai de casa, vai pra festa da faculdade, bebe, fica com as tuas amigas (já que faz uma vida que você não vê elas) reate os laços que o teu namoro desgastou.

Por sinal, os amigos são outro problema. Porque vocês irão ter amigos em comum, lugares em comum, gostos em comum. Inevitavelmente vão acabar no mesmo lugar e não obrigue, em hipótese alguma, os teus amigos a escolherem um lado. Eles não tem culpa pelo que aconteceu e são importantes para ambos os lados. Assim como ti, ele também vai sofrer e passar pelo mesmo processo, embora não pareça.

Somos humanos. A gente chora, a gente sofre, a gente ama.

E você não é diferente. Tua aparência durona não engana ninguém. Você chora, você sofre, você ama e pode ter certeza que vai amar outras vezes.

Amanhã, vai ser outro dia. Caso não seja e a escuridão insista em aparecer, não esquece que o teu sorriso sempre iluminava às minhas noites, pequena.

Bruno Amador