A gente não pode ficar junto por comodidade. Ainda mais a gente. Somos muito jovens, temos muita coisa pra passar. Muita lágrima pra derramar, muita boca pra beijar, muita gente pra se decepcionar. E sim, tem suas partes ruins, tem suas partes boas, mas é a vida. A vida é repleta de altos e baixos, mas o essencial é nunca ter medo de errar. Sair da comodidade, da famigerada bolha é incômodo e dá um puta de um cagaço. Mas sério, é a melhor decisão que você pode ter.

Praticamente nenhuma das melhores pessoas que já encontrei na minha vida teriam entrado nela se eu não me arriscasse. Se eu não me incomodasse em ter sempre a mesma rotina, se eu não saísse da minha bolha.

Então, vamos ao que interessa. O amor importa. Importa muito. O amor é a base de qualquer relacionamento, o amor é o que te deixa bobo, que te faz andar de mãos dadas, que apresenta pra família, amigos e começa a criar uma vida. Sem o amor o relacionamento duraria poucas semanas ao invés de anos. Os fatores que levam seu coração a acelerar por alguém não importam, o que importa é que ele acelera.

Só que amor, nunca é suficiente.

É preciso mais que isso. É preciso de tesão. Tesão é o que faz o sorriso bobo, virar mordida no lábio. As mãos dadas, pararem na coxa. Amor leva você a apresentar pra família, amigos e cria uma vida. Tesão, leva você a apresentar pro chuveiro, pra cama e pode criar outra vida (aqui fica a conscientização pra sempre usar proteção). O amor acelera o seu coração, o tesão te dá frio na barriga.

É preciso confiança, é preciso parceria, companheirismo e mais um monte de coisa que eu não sei o nome ainda. E minha amiga, quando essas coisas não existem, não tem mandinga, não tem DR, não tem tempo que você possa dar. A chama apaga. Você pode até tentar jogar um pouco de gasolina, já que você sempre foi muito fogo. Mas a coisa toda já vai ter apagado faz tempo quando você perceber que apagou.

E chega uma hora que você vai perceber que o seu namorado virou um amigo. Chega uma hora que o sexo é bom, mas não é Sexo. É só, amor. Os beijos vão ser gostosos, mas porra não é aquele beijo, é só um beijo. Você vai querer sair, você vai querer beber, viajar, se divertir e ele, vai querer ficar em casa. A rotina cansa e eu sei, isso é uma merda. Mas é a verdade. É  a vida.

Não adia o inevitável, isso tudo é só uma perda de tempo e sério, tempo é o que a gente menos tem pra perder nessa vida. Adiar um fim só prolonga o sofrimento, só piora a dor, só diminui a felicidade.

E parafraseando uma das frases que levo comigo pra vida. “Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.”

Constantemente me encontro quase morrendo de amor. Mas eu sei que só amor, nunca é suficiente.

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor. No Instagram e Snapchat: @brunoamador

Bruno Amador