Traz a tua boca pra mais perto e sente como ela se molda ao meu pescoço enquanto a minha mão passeia pelas tuas costas. Deixa eu encarar teus olhos verdes (mar caribenho) antes das luzes apagarem, enquanto a tua bochecha cora, a minha mão tateia a parede atrás do interruptor e quando a escuridão invadir o quarto… A gente se encaixa.

Não perfeitamente, até porque – vamos encarar a realidade 0 não fomos feitos um pro outro. Mas a gente é quente e o nosso calor nos deixa mais maleável, escorregadios, e aí as coisas começam a fluir como deveriam. Mostra pra mim que as tuas unhas, embora sejam curtas, conseguem marcar o seu caminho pelo meu corpo.

E eu sei, eu sei que já tá um pouco tarde e que você – provavelmente – já tá deitada, que a tua cama deve ser boa e a noite fria desanima ainda mais. Só que eu tenho em casa um cobertor, duas garrafas de vinho e uma cama igualmente gostosa pronta pra ti. Posso não ser muito bonito, mas garanto algumas risadas. E você sabe, algumas coisas são muito mais gostosas acompanhadas. Beber é uma delas.

Pra que preguiça hoje? Deixa ela pra amanhã.

A gente acorda e se esconde do Sol embaixo dos cobertores. Pede comida pelo celular e escolhe um Harry Potter pra ver. Eu tento imitar o sotaque britânico enquanto você ri e manda eu calar a boca porque quer ver pela milionésima vez o Rony e a Hermione se beijando depois de destruírem uma Horcrux.

A gente come na cama mesmo, só segura a sua falta de coordenação e não derruba yakissoba no travesseiro. Nem se preocupa com essa coisa de se envolver, juro que você não vai precisar fazer nenhum esforço. Deixa isso comigo.

Te envolvo nos meus braços, nos meus beijos e – se você não se importar – nas minhas palavras. Bem devagar, do jeito que a gente gosta, te mostro de pouco em pouco o meu mundo e como ele ficaria mais bonito com a tua presença. Até porque, seria impossível não ficar, se olha no espelho.

E se você gosta de elogios vem aqui que eu tenho mais um monte pra te dizer.

Deixa eu sentir o teu perfume e encaixar a minha boca na tua. Encaixa tuas pernas na minha cintura. Deixa eu morder o teu pescoço só pra mostrar que apesar do tamanho, sei ser delicado. Deixa a vergonha de lado, porque a partir do momento que você entrar nesse quarto ninguém mais vai te julgar. Deixa teu celular desligado. Deixa tua bolsa na sala e teus sapatos no pé da cama.

Sem compromisso, com compromisso, sem rotular, do jeito que você quiser, não sou nada exigente e depois de tanta gente vazia eu aprendi a seguir a maré. Então vamos navegar juntos por um tempinho e ver pra que lado o vento vai nos levar. E não se preocupa se as coisas começarem a desandar, às vezes a gente pode dar um passo pra atrás, ou dois pra frente e se não dar certo, a gente volta pro início. Ou pula pro final. Mais importante do que estarmos juntos, é estarmos felizes.

Então, se não quiser aparecer aqui hoje, tudo bem, sempre tem amanhã, ou semana que vem, sem pressa.

Até porque no fim, a gente acaba se encaixando.

Bruno Amador – clique para me conhecer melhor. No Instagram e Snapchat: @brunoamador

Bruno Amador