Pode ser que não seja nesse exato momento. Pode ser que a gente ainda vá dar certo um dia. Mas, eu me lembro muito bem, como se fosse ontem, que terminamos num final com prosseguimento, daqueles que se espera uma sequência. Somos o filme que não foi lançado do “De Volta para o Futuro”. Alguns argumentariam nesse ponto que não querem uma continuação, mas isso não vem ao caso. Diria que somos melhores que isso ainda, somos um CD do Michael que nunca mais vai sair, ou um novo single dos Beatles que foi escrito apenas em um papel de telefone, mas nunca foi parar no estúdio.

A nossa sintonia sempre foi clara pra todo mundo. A verdade estava em nossos olhos em todas as nossas conversas. Não existia privação da liberdade ou cerceamento de saídas, baladas, choros, desabafos. Éramos um para o outro o que sempre sonhamos. Companhia, braços abertos, uma pintura de relacionamento que muitos duvidariam que pudesse existir no meio desse caos maldito da cidade grande, que não te permite tempo nem para um “oi, como vai você?” direito.

A vida prega algumas peças. Você, talvez, seja a maior delas. Um espetáculo que não chegou a sair de cartaz por conta do sucesso, mas que foi aos poucos se tornando a mesma coisa de sempre, não diria enjoativo, mas estagnado. Paramos no tempo. Tudo que digo aqui, serve para mim também. Ficamos na mesma, e as coisas não fluíram. O tempo parecia a melhor opção, a busca por novos ares, a solução ideal.

E isso nos afastou. Fomos cada um para um lado, na esperança de que no fim de nossas estradas, os caminhos se encontrassem em um cruzamento qualquer. Vejo nossas fotos no instagram, nossas conversas antigas, seu sorriso em qualquer canto e me pergunto: você ainda pensa nisso tudo que penso agora? Será que ainda existe um vazio no peito causado pela minha ausência ou isso já foi preenchido por algo ou por alguém? Tento manter minha cabeça ocupada para não pensar nisso. Procuro aprimorar meu conhecimento, conhecer novas pessoas, bater novos papos. Mas, nada me tira da cabeça de que nosso “adeus” foi um “até logo”.

Eu vejo em você a admiração. Você é mulher, daquelas que a gente fica horas olhando e pensando em como alguém pôde se tornar tão perfeita. Pra isso, eu não tenho explicação alguma. Mas, eu sei explicar uma coisa: ainda te espero, e passou tanto tempo, que eu sei que posso esperar por muito mais.

Que nossas vidas sejam eternos caminhos cruzados.

Lucas Fiorentino

Instagram: @lucasfiore_

Lucas Fiorentino