Foram nelas que eu me perdi. Não me lembro muito bem em que momento passei a sonhar acordado quando te via, nem qual foi a primeira vez que me peguei sem pensamento nenhum em minha mente, quando olhava você deitada na cama fazendo coisa qualquer.

Eu só sei que foi assim. De uma hora para outra estávamos ali, e a sua essência me consumia como uma chama consome o oxigênio todo a sua volta. Não gosto muito de metáforas, mas não achei outra forma de explicar o ocorrido.

Éramos amigos, simples companheiros que andavam juntos por aí. Nas ruas e metrôs de São Paulo, a gente jogava conversa fora. Nos bares do ABC Paulista, nossas risadas e caras de bobos após algumas cervejas eram notadas. Nas festas e churrascos de amigos, nossa companhia era sempre bem vinda. Mas, era só isso. Pelo menos, até um certo momento era desse modo que a gente se via.

E de uma pra outra, eu estava deitado na sua cama, olhando para o teto. Olha, não me culpe, eu sempre me seguro quando acho que não vou ter chance ou que algo vá atrapalhar a amizade. E dessa vez não foi diferente. Não que você não seja bela, ou que você não seja espetacular. É isso, acho que essa é a palavra certa. Você é espetacular, do seu modo. E seu modo é, com toda a certeza, o melhor de todos.

O ponto que quero chegar é: depois de tanta enrolação e confusão tentando entender como chegamos nesse ponto, eu me sinto confortável com isso. Me sinto bem ao teu lado e você transcende toda a alegria da nossa amizade pra qualquer assunto que a gente vá conversar. Mudamos de hábitos. Hoje em dia, a noite não termina com cada um indo pra sua respectiva casa ou com cada um ficando com outra pessoa. Não bebemos em mesas separadas quando estamos com ideias diferentes e nem ficamos chapados a ponto de um ter que cuidar do outro. É, hoje em dia é diferente mesmo. A gente volta junto na mesma estação, fica junto a noite toda, e ai de quem se incomodar com isso. Bocejamos juntos (mas isso acho que é inevitável). Acordamos e escovamos os dentes juntos.

E nada disso me incomoda.

Porque quando vejo teu corpo ali parado, sei que estou louco por isso. Sei que a hora certa pra gente chegou e que a gente tem que se jogar nisso sem medo. Sem medo nenhum, sem temor do futuro. Eu sei que essa sempre foi nossa cina, principalmente pelo tanto que já conversamos sobre isso. Já sei porque me contou que tem medo de perder tempo com alguém que não valha a pena. E eu também tenho isso guardado comigo. Entregar o coração de cabeça pra algo que não vai durar não é bacana.

E a gente sai dessa junto, só relaxa.

 

Lucas Fiorentino – clique para me conhecer melhor.

Siga-me no Snap como @fioritos ou no Instagram como @lucasfiore_ !

 

 

Lucas Fiorentino