Estive chorando. Meu coração estava apertado e eu não conseguia respirar direito.
Fiquei tentando entender o motivo desta angústia toda.

Pensando sobre a noite de ontem e relembrando cada minuto, cheguei a uma triste conclusão! Descobri que estou apaixonada por você! Isso me assusta. Me espanta perceber que eu perdi o controle. Eu tinha tudo calculado, tudo estava acontecendo dentro das margens de erro. Ontem eu descobri que me perdi. Estou entregue.

Me apaixonei e nem percebi! Como isso é possível? Ficar perto de você era bom, as risadas e cigarros eram volúveis, eu não tinha medo, não tinha vergonha e nem resistência! A gente ficava junto quando dava vontade e era tudo tão leve e descontraído. Te ver chegar e partir era natural.

Ontem descobri que não é mais. Olhei pra você a noite toda! Esperei uma iniciativa sua, fiquei feliz com a sua presença e doeu quando você saiu. A mensagem não respondida me chateou, mesmo sem querer! Sim, estou ciente que tudo isso é sintoma de paixão!

Me apaixonei por você! Isso não podia ter acontecido! O que vou fazer agora? Droga! Perdi o controle! Perdi o chão, o ar e o rumo. Agora vai doer quando você não aparecer, mas quando chegar vai doer mais ainda, mesmo me trazendo conforto, vai doer quando você não ligar ou não olhar pra mim com aquele sorriso pidão.

Nossas noites quentes não serão apenas diversão. Agora terão uma conotação diferente para mim. Vou querer dormir de conchinha e também vou querer acordar com beijos.

Sei que você não é apaixonado por mim.

E acho que é provável que nem chegue a se apaixonar…

Eu não posso negligenciar o que sinto. A descoberta é nova e bombástica, mas vou aprender a lidar com ela e não garanto alimentar esperança nenhuma. Fique tranquilo, a responsabilidade não é sua. O que sinto é problema meu. Se não der certo eu mesma vou sufocar esse sentimento, caso necessário, em legítima defesa!

Gabs Araujo 

 

Lucas Fiorentino