Hoje, aquele sorriso que você deixou comigo fez uma falta. Perdi ele em algum canto aqui de casa. Tenho certeza de que deixei debaixo da cama, talvez quando eu voltar dos compromissos que tenho, eu resolva procurar. Não tenho certeza se quero encontrar também. É que ele fez a falta de sempre, mas ficar longe dele me melhorou como nunca.

Hoje, já consigo entender que amo seu sorriso, mas que ele tem seu lugar certo. E esse lugar não é comigo. Porque guardar uma coisa tão bela com alguém que não vai saber cuidar? Cada detalhe é importante nessa hora, e eu não posso deixar meu egoísmo tomar conta de você.

Hoje, a verdade veio à tona. Eu entendi como não pertence a mim nada que é seu. É seu e só seu, de mais ninguém. Sinta-se livre pra usar, doar pra quem quiser. Uma parte do teu sorriso ficou em casa, porque me faz bem olhar pra ele e lembrar de como ele era lindo. Só que hoje, ele pode ser lindo de tantas formas diferentes, que fica difícil pra mim dizer qual seria a mais correta.

Hoje, eu amadureci. Mais do que nunca, a verdadeira essência que vem de mim despertou. Dentro dos meus pensamentos, algo pediu pra eu deixar seu sorriso de lado. Pediu pra que eu continuasse a viver sem ele, buscando outras formas de lembrá-lo, ou até de superá-lo.

Hoje, talvez seu sorriso não seja o mais bonito para mim também, embora o ache espetacular. E talvez, alguém o ache mais belo do que jamais reparei nele. Esse alguém, com certeza tem sorte.

Amanhã, quem sabe, eu não faça uma nova descoberta debaixo da minha cama. Quem sabe não deixou um beijo lá pra mim, e essa reflexão vai se repetir. Porque você é dona de você mesma, e eu, só resto ao meu coração deixá-la fluir.

Lucas Fiorentino