Ciumes é aquela coisa que todo mundo sabe, um pouco é bom, demais estraga, é a máxima da vida pra tudo, ciumes é fofo, no início do relacionamento tem toda aquela coisa de pertencimento “own ele me ama” , mas depois cansa, vai virando uma praga e quando caimos na real nos afastamos de todos nossos amigos do sexo oposto porque nossa(o) parceira(o) tem ciumes de cada um deles.

Não é que eu não sinta ciumes, eu só não vejo sentido em ter ciumes, ciumes é algo relacionado a posse, mas se eu dou meu melhor pra pessoa, porque teria ciumes dela com outra? Se eu dou meu melhor é óbvio que ela irá ficar comigo, a não ser que o meu melhor não seja o suficiente, o que eu imagino que seja, ou que eu esteja junto de uma pessoa burra, algo que sempre me esforço ao máximo para não estar.

Eu sinto ciumes, sou ser humano, sou bem ciumento, mas eu contenho rapidamente com esse pensamento, é uma espécie de teoria da mão, imagine se namorado ou namorada na palma da sua mão, se você deixa-la aberta, ele irá até a ponta dos teus dedos e verá que ali, não tem nada, então voltará para a palma da sua mão, porém se você fechar a mão, ele nunca irá saber o que tem além daquele escuro, irá ficar olhando por entre os dedos, até que um dia, ele irá escapar.

Ciumes fofo é aquele que é curado com um beijo na testa ou algum recado ao pé do ouvido, ciumes fofo é aquele que você vai sair pra balada e sua namorada diz, “não esquece que eu te amo tá?”, é o que te faz tomar um tapa no ombro se você olha pra bunda alheia, esse é o ciumes fofo.

O ciume deve ser uma demonstração de afeto, não de posse, eu tenho que me sentir querido quando for alvo de ciumes, não preso, ciúmes excessivo é um sinal de fraqueza e nesse mundo atual, os fracos não têm vez.

Bruno Amador