Acabou. 
Dizia sua mente, 
Continua,
Suplicava o coração.

Sempre com o coração à frente, 
Ignorava sua mente, 
Acreditava com todas as forças, 
Que não podia ser aquilo somente.

Acabou? 
Perguntava seu coração, 
Desacreditado procurou abrigo novamente, 
Mas as portas, estavam fechadas.

Acabou! 
Nunca chegara a ouvir essas palavras, 
A boca que tanto beijara, 
Não teve coragem de dizê-las, 
Ou ele não teve coragem de ouvi-las.

Mas somente ler, 
Bastou para sua mente. 
Mas não, 
Para seu coração.

Diz que mente, 
Pedia seu coração, 
Diz que não acabou, 
A história tem que continuar,

Dói, 
Dói muito, 
Mas coração, 
Acabou. 
Acabou?

Bruno Amador